Modelo de pauta segundo Edvaldo Pereira

1- Quero redigir uma matéria dentro do tema lazer/terceira idade, porque quero mostrar os programas culturais voltados para esse público e seus freqüentadores.

 

2- Estou me baseando nos locais que promovem esses eventos culturais, e nos líderes comunitários de bairros que organizam os programas. Percebi que em certos locais, há um público idoso bem maior que o público jovem. Eu já conhecia alguns desses locais, pois minha vó é frequentadora. Durante essas festas os idosos se mostram entusiasmados e dançam bastante.

 

3- Eu tenho curiosidade em saber o que leva esses idosos a deixarem de lado o sofá de casa para dançar forró, chorinho e etc. Há quanto tempo que eles frequentam os locais – eu quase sempre vejo as mesmas pessoas, todos os fins de semana -. E por parte dos organizadores, o que eles buscavam quando inventaram esses programas culturais específicos.

 

4- Se minha matéria fosse começar por uma pergunta, eu perguntaria: “Se você fosse idoso(a), você trocaria seus dias de descanso para passar a noite em uma festa?”

 

5- Primeiramente, os próprios frequentadores seriam a melhor fonte. Nada melhor do que entrevistá-los para saber o ponto de vista de quem se desloca até essas casas de forró. Outra fonte seria os organizadores, pra saber como eles pensaram nisso, quem sustenta os eventos – alguns deles não cobram taxa para entrar – , e quantas pessoas em média ocupam o local.

 

6- O que tem de mais “especial” é a disposição do público da terceira idade em participar dos programas culturais, como, dançar forró e chorinho, desfilar nos blocos de carnavais e percorrer uma longa avenida sem cansar, etc.. Rsrs

 

* Pretendo fazer uma rota do carnaval de rua do Bloco que minha vó desfila. Fazer fotos desses lugares, (Mercado dos Pinhões, chorinho do Sesc, etc), fazer uma linha do tempo de todos os eventos culturais de bairro que ela se apresentou, gravar um vídeo com depoimento do líder comunitário que organiza o bloco de rua, e, um vídeo desses idosos nesses locais, pra ver a rotina de cada lugar.

Galeria

Difusão de programas culturais para a terceira idade

 

Pensei neste tema para minha pauta porque minha vó é frequentadora assídua desses tipos de programas. Eu acompanho ela em quase tudo que ela faz, e, particularmente, acho impressionante essas atividades oferecidas para terceira idade.

Meu Objetivo é mostrar os principais locais de Fortaleza frequentados pela terceira idade, realizar uma entrevista com esses idosos pra saber o que lhes atrai nos programas culturais. E, mostrar também, a diversidade de atividades como, forró, chorinho, criação de produtos artesanais e etc. Entrevistar os organizadores desses programas pra saber como surgiu a ideia e o que foi pensado para produzir tal programa cultural. Fazer um ensaio fotográfico nesses locais e gravar um vídeo, são os recursos que utilizarei, a princípio, para mostrar como se portam esses idosos em cada atividade.

Separei aqui neste post algumas fotos pra vocês conhecerem de perto essas atividades.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Galeria

As peculiaridades do Mercado São Sebastião

O primeiro estrutura do Mercado São Sebastião foi inaugurada no dia 18 de abril de 1987, no local onde hoje estão o Palácio do Comércio, a praça Valdemar Falcão e o Banco do Brasil, e era totalmente fabricado de ferro. Anos depois, a expansão do comércio obrigou que suas estruturas fossem reformadas, e em 1937, o mercado foi desmontado, dando origem à outros dois mercados: o dos Pinhões, na Praça Visconde de Pelotas, e o Mercado da Aerolândia que, hoje, encontra-se abandonado.

Em 1989, o mercado já estava reformado e segmentado. Novos blocos foram construídos, novos corredores e coberturas. Hoje, o Mercado possui um estacionamento e 3 pavimentos divididos em: subsolo, 1ª andar e 2º andar, localizado na Rua General Clarindo de Queiroz, 1745, no Centro da Cidade. Dentro podemos encontrar frutas, plásticos, descartáveis, embalagens, condimentos, temperos, castanhas, méis, raízes, plantas medicinais, produtos artesanais (palha, madeira e barro), artigos de vestuário, redes, panelas e utensílios domésticos, dentre outros.

Instantaneidade + interação + notícia: Webjornalismo

Imagem

O jornalismo na web precisa marcar suas potencialidades fazendo proveito não só das características dos meios de comunicação atuais, mas também dos recursos que a internet lhe propõe.

Imagem

     O texto “Webjornalismo – Considerações gerais sobre o jornalismo na web”, do professor da Universidade da Beira Interior, João Messias Canavilhas, explica como o surgimento de diversos meios de comunicação – como o rádio, TV e impresso – permitiu que se adquirissem novos hábitos de compreensão textual, uma nova narrativa e linguagem. Cada meio possui sua característica individual, mas com o surgimento do webjornalismo se faz necessário a criação de novos hábitos,não transportando somente as características dos outros meios.

     Transformar uma notícia em uma “webnotícia” exige esforço não só do jornalista como também do leitor. Cabe ao jornalista construir uma nova narrativa e organizar o espaço de tal maneira que o leitor consiga se desprender das regras adquiridas dos outros meios de comunicação, que o texto seja objetivo a fim de tornar a leitura mais confortável.

     O texto para a web possui várias características, dentre elas a interatividade com o leitor, que o possibilita entrar em contato imediato com autor do texto para fazer perguntas, elogiar etc. Por outro lado, essa interação permite uma discussão que possibilita enriquecer a notícia, dar notoriedade ao texto e ao jornalista. Uma notícia rica em recursos interativos também melhora a percepção do material.

     Esse novo meio de comunicação possui diversas características que o diferenciam dos outros meios. Podemos citar algumas como, a personalização, multimidialidade, instantaneidade e etc. É através destas características que o leitor pode realizar uma rápida leitura do texto, um “scaneamento” da notícia, que vai dizer se ele deseja ou não continuar sua leitura. Tudo vai depender da credibilidade dos recursos utilizados, podendo ser eles, som, vídeo, fotos e etc.

     As características da webnotícia precisam ser bem escolhidas para que atraia o leitor. As possibilidades são muitas, cabe, então, ao jornalista selecioná-las para construir um texto rico e atraente. Confira aqui, neste arquivo do professor Breno Brito, as características do web jornalismo e suas possibilidades de recursos interativos.

Focom debate jornalismo, marketing esportivo e empreendedorismo

image

Na manhã desta quarta-feira, 05/02, o Teatro Celina Queiroz acolheu os alunos de comunicação da Unifor para a 11° edição do Fórum Integrado de Comunicaçāo (Focom). O tema do debate foi “Jornalismo, Marketing esportivo e empreendedorismo: A Copa da Fifa”. E para enriquecer o assunto, subiram ao palco o coordenador de empreendedorismo do Governo do Estado, Luis Soares, o chefe de esportes do Sistema Verdes Mares(SVM), Paulo César Norões, e o estudante de jornalismo e ex-estagiário do SVM, Juliano de Medeiros.

Durante o encontro, a diretora do Centro de Ciências da Comunicação e Gestāo (CCG), Clara Bugarim, abriu o evento e desejou boas vindas aos calouros. Em seguida, os coordenadores dos cursos de Jornalismo e Publicidade, Wagner Borges e Carlos Bittencourt, respectivamente, comentaram sobre a importância do Focom e parabenizaram os alunos por engrandecerem o evento. “A ideia é lançar um evento, e o Focom está crescendo, tem cada vez mais adesão”. Destaca Bittencourt.

Em virtude da Copa das Confederações e do mundo na cidade de Fortaleza, o coordenador de empreendedorismo do Estado, Luis Soares, comentou sobre as oportunidades que se pode extrair de um grande evento como a Copa e as infinitas oportunidades de negócio que estāo surgindo. “Deve-se transformar esse empreendedorismo em oportunidades,  pois, quem vai ganhar dinheiro é quem tiver sacada”.

O chefe de esportes do SVM, PC Norões, abordou o trabalho da imprensa diante da Copa e os impactos que o evento causou e está causando nas obras, no comércio e na logística. “Todos esses problemas na infraestrutura, no comércio e etc, é um prato cheio para nós, para a cobertura. Tudo vira uma notícia,  um furo”. O estudante de Jornalismo, Juliano, explanou a rotina de trabalho do jornalismo esportivo e gratificação em emplacar notícias. “As vezes são pequenas coisas, pequenos detalhes (da apuraçāo), mas que engrandecem o trabalho”.

Por fim, foi aberto um espaço para perguntas em que os alunos extraíram conhecimentos dos convidados e tiraram suas dúvidas refente ao tema. A organização do Focom agradeceu aos convidados pela aceitação do convite, e, aos alunos, pela presença e interação.